Primeiro dia de Enprovend reúne mais de uma centena de propagandistas em Praia Grande (SP)

agosto 9, 2017 No Comments »
Primeiro dia de Enprovend reúne mais de uma centena de propagandistas em Praia Grande (SP)

Porém vamos agendar várias atividades contra empresas que não abriram negociações salariais, precisamos fazer um contra-ataque de forma organizada

Luís Alberto Alves/Comunicação CNTQ

No primeiro dia do Enprovend (Encontro Nacional dos Propagandistas Vendedores), que vai até sexta-feira (11), na colônia de férias do Sindicato dos Borracheiros de SP, em Praia Grande, o advogado e consultor jurídico da CNTQ e presidente de Direito Sindical da OAB, César Augusto de Mello, discorreu sobre diversos itens da reforma trabalhista, sancionada pelo governo como Lei 1.3467/2017, que prejudicará a classe trabalhadora.

“Infelizmente, a legislação não foi construída para proteger o dirigente sindical. Por outro lado, o governo Michel Temer faz parte da política global, que adotou como regra o capitalismo selvagem, e escolheu o sindicalismo como bola da vez”, disse. Ele também frisou que o Código Civil demorou 20 anos para ser reformulado. “Com a CLT fizeram isto em poucos meses, criando o Código Empresarial do Trabalho. Este será o novo nome da CLT, com o trabalhador sofrendo bastante”, argumentou.

Rolo compressor

O presidente da Feprop (Federação dos Propagandistas e Vendedores de Produtos Farmacêuticos do Est. do Rio de Janeiro), Alexsandro Diniz, elogiou ao apoio que a categoria recebeu da CNTQ. “Foi ela que colocou um carro de som numa manifestação na porta do MSD (Merk Sharp and Dohme), criticando a perseguição contra os nossos colegas sindicalistas. A CNTQ é quem luta e nos dá estrutura para segurar esse rolo compressor dos laboratórios sobre nós”, disse.

O presidente da Feprovenone (Federação dos Sindicatos de Propagandistas, Propagandistas-Vendedores e Vendedores de Produtos Farmacêuticos do Norte/Nordeste), Fernando Oliveira destacou que diante de várias reformas, os propagandistas ficaram um pouco cabisbaixos, mas sem deixar a peteca cair. “Hoje com a formação das nossas federações, a indústria farmacêutica tem nos atacado bastante. As lideranças sindicais são muito agredidas. Porém vamos agendar várias atividades contra empresas que não abriram negociações salariais, precisamos fazer um contra-ataque de forma organizada. É hora de pressionar, não de recuar. Não podemos esquecer da formação sindical e política. Cabe a cada um de nós, fortalecer a categoria com formação profissão. Vamos avançar”, explicou.

Entendimento

Na avaliação do presidente da CNTQ e do presidente do Sindiquímicos Guarulhos, Antonio Silvan Oliveira, é importante buscar entendimento para obter resultados satisfatórios, principalmente neste momento que estamos passando. “Ressalto que, em termos de conhecimento, a integração é o caminho para fortalecimento da representação dos propagandistas e propagandistas vendedores em nível de Brasil”, disse.

O presidente da Secretaria dos Propagandistas da CNTQ, Vagner Rodrigues Almeida, destacou que após muita luta ocorreu a união da categoria. “Estamos num processo de estruturação dessa secretaria. Neste evento, aqui na Praia Grande, conseguimos reunir as três federações (Feprovenone, FIP e Feprop). No decorrer de 2017 finalizamos esse processo”, afirmou.

Mudanças

O presidente da FIP (Federação Interestadual dos Propagandistas), Luis Marcelo Ferreira, lembrou que as mudanças estão ocorrendo de forma ruim. “Somos sindicalistas. Muitos ainda não têm consciência do que acontece atualmente. Tenho certeza da vitória. Chegaremos bem longe”.

O assessor técnico da Força Sindical, Lino Almeida, lembrou que os sindicalistas da categoria dos propagandistas e propagandistas-vendedores e vendedores de produtos farmacêuticos precisam se preparar rapidamente para obter resultados positivos inúmeras vezes. “É importante um trabalho de base, porque hoje temos estrutura para enfrentar esse tipo de problema”, disse. O evento é realizado pela Feprovenone, FIP, Feprop, Secretaria Nacional dos Propagandistas da CNTQ, Força Sindical e CNTQ.