Câmara dos Deputados dá um cala-boca na Justiça e livra a cara de Michel Temer

agosto 4, 2017 No Comments »
Câmara dos Deputados dá um cala-boca na Justiça e livra a cara de Michel Temer

Infelizmente contra tudo isso, ninguém bateu panela, protestou nas ruas

*Isaac Wallace de Oliveira

O arquivamento da denúncia de corrupção passiva contra o presidente Michel Temer pela Câmara dos Deputados mostra que a Justiça perdeu a credibilidade no Brasil. As provas exibidas pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que serviram para o relator pedir a cabeça de Temer, enviando o processo ao STF (Supremo Tribunal Federal), viraram ficção.

Lembro que o então presidente Fernando Collor de Mello, em 1992, renunciou quando explodiu o escândalo envolvendo seu tesoureiro PC Farias, mas o incêndio teve início com uma perua Elba. Perto do que já fez Michel Temer, Collor seria considerado ladrão de pirulito de crianças. Foi de enojar assistir a base governista defendendo Temer, como se ele fosse exemplo de honestidade.

Nos últimos dias, o governo liberou muito dinheiro aos deputados, por meio de emendas, para comprar, literalmente, o seu voto. Infelizmente contra tudo isso, ninguém bateu panela, protestou nas ruas. Na visão dos milhões de pessoas que pediram a cabeça da então presidente Dilma Rousseff, não existe nada de ilícito no governo Temer; nem os inúmeros ministros pegos pela Operação Lava Jato.

É triste ver que a Justiça deixou de ser importante no País. O Judiciário, em vez de botar para quebrar em cima dos corruptos, parece ter miopia ou cegueira, para mandar, de volta, por exemplo, ao Senado, o playboy tucano Aécio Neves. Documentos encontrados no seu apartamento no Rio de Janeiro, inclusive anotações com a sigla CX 2, perderam a importância de provas.

Enquanto isso, o desemprego prossegue ceifando pais de família, que não têm mais meios de continuar sustentando suas casas. Como desgraça pouca é bobagem, empresários desonestos já começaram demitir funcionários de olho na reforma trabalhista, sancionada pelo governo, que passa a vigorar a partir de 13 de novembro. Cabe a nós, do movimento sindical, resistir de todas as formas a esse ataque da elite, que usa Michel Temer como bucha de canhão. À luta companheiros! Nenhum direito a menos! Unidos seremos cada vez mais fortes!

*Isaac Wallace de Oliveira é presidente da Ferquimfar (Federação dos Trabalhadores nas Indústrias do Ramo Químico, Farmacêutico e Material Plástico do Estado do Rio de Janeiro) e secretário-geral da Força Sindical/RJ.