Na China, em encontro dos Brics, sindicalistas denunciam reforma trabalhista brasileira

julho 26, 2017 No Comments »
Na China, em encontro dos Brics, sindicalistas denunciam reforma trabalhista brasileira

Ele comentou a respeito das tratativas com o governo sobre a edição de uma Medida Provisória para minimizar os impactos negativos da nova lei trabalhista

Luís Alberto Alves

Na cidade de Chongqing  (China), centrais sindicais brasileiras denunciaram  e criticaram ontem (25) a reforma trabalhista aprovada no Brasil. No encontro, onde está presente o presidente da Fequimfar (Federação dos Trabalhadores nas Indústrias Químicas e Farmacêuticas do Est. de SP) e 1º secretário da Força Sindical, Sergio Luiz Leite, o Serginho; os empresários brasileiros não participaram do encontro que reuniu trabalhadores, empregadores e ministros do Trabalho dos países membros do Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), onde foi defendida a institucionalização do Fórum do Brics Sindical, além de crescimento econômico com desenvolvimento sustentável, geração de empregos com ganhos compartilhados.

Serginho também se reuniu com o diretor-geral da OIT (Organização Internacional do Trabalho), Guy Ryder. “Com ele falamos sobre a reforma trabalhista, que prejudica o sindicalismo, aprovada no Congresso Nacional e sancionada pelo governo. Destacamos que provoca o desequilíbrio das relações trabalhistas, perdas de direitos consagrados, flexibiliza contratos de trabalho e precariza os direitos”, afirmou.

Ele comentou a respeito das tratativas com o governo sobre a edição de uma Medida Provisória para minimizar os impactos negativos da nova lei trabalhista, permitindo a estruturação, por meio do custeio sindical, do movimento sindical, possibilitando o enfrentamento e resistência às perdas de direitos. “Destacamos que essa reforma não seguiu os princípios de diálogo tripartite consagrados pela OIT, que resultou em denúncia mundial, que já está sob análise pela comissão de normas”, frisou.